Tag Archives: Resenha de Livros

Resenha: A arte de ouvir o coração [Jan-Philipp Sendker]

26 jul

O coração acelerado, sudorese nas mãos e hormônios responsáveis pela sensação de euforia totalmente elevados ao máximo. Se você já sentiu tudo isso quando o carteiro anuncia a chegada de um novo livro, parabéns, você é uma pessoa normal! (Apenas um pouco viciada demais em livros, mas ainda é normal! Rsrsrsrsrsrs)

Brincadeiras e diagnósticos a parte, é exatamente isso que sinto toda vez que compro um livro novo. Agora tentem imaginar como me senti quando o carteiro me trouxe um livro que eu sequer comprei?

Para quem não sabe, blogueiros de páginas que tratam de todo o universo que permeia os livros podem solicitar a parceria de editoras e autores para divulgar o que há de novo no mercado literário para vocês, leitores. Claro que, muitos solicitam essas parcerias apenas visando a aquisição de livros. Sim, isso é o máximo, mas não é APENAS isso que uma parceria dessas oferece.

E a Companhia das Letras me surpreendeu com o e-mail resposta à minha solicitação de parceria. Eles não estavam com processo de inscrições abertas na época, mas ofereceram como contrapartida a Loteria da Companhia das Letras para Blogueiros. Uma vez inscrito, o blog concorre a um dos títulos disponíveis e, o mais legal é que todos os inscritos têm chances, já que quem ganhou não participa mais dos próximos sorteios. Não gosto de puxar sardinha para ninguém, mas ações como essas da Companhia das Letras são inspiradoras não apenas para quem escreve sobre livros, mas principalmente para incentivar o hábito de leitura, que hoje é ainda tão limitado no Brasil.

Para ser sincera, eu nem me lembrava mais de ter me inscrito na Loteria da Companhia das Letras. Mas então, quando o carteiro chegou com o envelope rechonchudo, na hora senti todos os sintomas de um bookaholic! Espero que gostem da resenha de hoje e adquiram um exemplar desse livro (eu já pretendo encomendar dois para dar de presente!) que me conquistou, tanto pela história, como pela forma como ele chegou a mim.

Ficha Técnica:

2013-07-26 11.18.16
Autor –
Jan-Phillip Sender
Editora –
Companhia das Letas (Selo Paralela)
Gênero –
Romance
Ano –
2013
Páginas –
256

 

 

 

Sinopse:

Um bem sucedido advogado de Nova York desaparece de repente sem deixar vestígios, e sem que sua família tenha qualquer ideia de onde ele possa estar. Isso até o dia em que Julia, sua filha, encontra uma carta de amor que ele escreveu há muitos anos para uma mulher birmanesa da qual nunca tinha ouvido falar. Com a intenção de resolver o mistério e descobrir enfim o passado de seu pai, Julia decide viajar para a aldeia onde a mulher morava. Lá, ela descobre histórias de um sofrimento inimaginável, a resistência e a paixão que irão reafirmar a crença no poder que o amor tem de mover montanhas. Uma história de amor comovente e inspiradora, A Arte de Ouvir o Coração vai ensiná-lo a ver o mundo de outra forma.

Z_Resenhas

 

Onde comprar:

Companhia das Letras | Saraiva | SubmarinoLivraria Cultura

 

Minha Opinião:

A história é dividida em três partes, cada uma com sua retomada da contagem numérica de capítulos. Ao final do 15º capítulo da primeira parte, eu confesso que estava bastante confusa! Isso porque a narrativa inicia no ponto de vista de Julia e então varia para narrador em 3º pessoa que descreve os sentimentos e emoções de vários personagens e depois volta para a visão de Julia. Só no capítulo 1 da segunda parte que eu comecei a entender por que a primeira parte foi descrita dessa maneira. E então, quando essa variação de narrativa aconteceu novamente nos capítulos seguintes, já me senti mais confortável e até fiquei aguardando por essas mudanças para mergulhar mais a fundo no mistério que cerca o sumiço do pai de Julia e o que isso tinha a ver com a história que U Ba, um velho sábio do vilarejo de Kalaw, conta a Julia.
Jan-Philipp Sendker me proporcionou uma imersão numa cultura tão diferente da nossa e também diferente da realidade de Julia (a quem me recuso chamar de protagonista da história! Quem ler vai entender por que! Risos). Conhecer mais a fundo cada detalhe de um país tão distante como a Birmânia e de costumes tão peculiares como os do povo de Kalaw foi uma experiência que eu não esperava vivenciar por meio da leitura de um romance como esse. Além disso, Sendker é detalhista ao ponto de tornar sua escrita incrivelmente sensorial. É impossível não ler um parágrafo sequer e não sentir os odores descritos, as variações climáticas, a textura de tudo o que os personagens tocam e, principalmente, ouvir – ou tentar – o que eles ouvem.
A história de Tin Win é tocante em todos os detalhes porque me mostrou a frieza e descaso do ser humano, mas também a intensidade de sentimentos nobres como a amizade, devoção, cuidado e amor. Tudo isso em apenas 253 páginas. Aí você me pergunta: Mas na sinopse não diz que Julia é quem procura pelo pai? Sim, essa questão foi o que mais me deixou intrigada sobre as idas e vindas de ponto de vista narrativo na primeira parte! Mas isso é o que tornou a leitura muito mais instigante!
Esse é o tipo de livro que eu não apenas gosto de manter por perto, como também gosto de presentear porque instiga o questionamento de nossos conceitos que às vezes construímos e sustentamos por tanto tempo, julgando como imutáveis e inquestionáveis. O tipo de livro que causa reflexão e valorização de atitudes e sentimentos!

“(…) A essência de algo é invisível aos olhos, dizia U May. Aprenda a perceber a essência de algo. Os olhos podem mais prejudicar do que ajudar, nesse aspecto. Eles nos distraem. Adoramos nos deslumbrar.” Página 208

O final dessa história toda, com a solução para o mistério que Julia buscava resolver, é surpreendente. Não existe outra palavra que definiria melhor. Depois de ler você pode até pensar: “Dã, era tão óbvio!”, mas na maneira como Sendker escreveu tornou tudo muito imprevisível e emocionante, pelo menos para mim.
Claro que no meio da história eu comecei a fazer minhas suposições sobre o paradeiro do pai de Julia. Nenhuma delas chegou perto o suficiente da verdade do que realmente aconteceu e, nenhuma, mesmo com todo o esforço da minha imaginação fértil, se aproximou da carga de significados que existe por trás do final real.
Resumindo, as lições que tirei dessa leitura foram:
1 – O sofrimento na vida é algo que está além de nossas forças, podendo ser apenas resultado de uma junção mal ajustada das estrelas, um imprevisto da natureza ou o plano de algo maior – dependendo da sua cultura e crença. Mas o sofrimento na vida é algo com o qual devemos aprender a viver. Não superar, mas sim viver.
2 – Nem sempre as pessoas com quem contamos são exatamente aquelas em quem confiamos. As pessoas com quem contamos são aquelas que nos oferecem apoio e ajuda em tudo o que precisarmos no sentido físico. Já aquelas em quem confiamos são aquelas em quem depositamos nossos mais profundos segredos, que nos ouve e nos vê sem nos julgar e em quem podemos nos apoiar para sermos levados a lugares onde nossos pés jamais alcançariam ou enxergar coisas que nossos olhos jamais seriam capazes de ver. E, às vezes, a vida nos apresenta a uma pessoa em quem podemos confiar e contar.
3 – Nem sempre conhecemos tão bem as pessoas com quem nos relacionamos, mesmo que convivamos com elas diariamente e por anos.
4 – A rara habilidade de ouvir um coração bater pode se aplicar no sentido literal em casos como o de Tin Win, mas também serve como instrução para que aprendamos a absorver mais do mundo que nos rodeia.

E falando em sentido físico, eu amei, de paixão mesmo, sem exageros, a diagramação desse livro! Eu não sou muito fã de insetos eca!, mas sempre gostei muito de borboletas. E ultimamente andei pesquisando sobre técnicas de decoração de interiores com borboletas, que vão desde a impressão de gravuras estilizadas e adesivos de parede até molduras, quadros de acrílico e telas com borboletas empalhadas.

Quando eu vi a capa do livro, mesmo antes de ler qualquer coisa, pensei que a história teria algo relacionado com a natureza. Não estava de todo errada no final, mas compreendi que os insetos remetiam à curiosidade de Tin Win de desvendar tudo o que ele tanto ouvia, conseguindo assim aprimorar a capacidade de discernir cada som por suas peculiaridades. E no final, quando Julia descobre o que aconteceu com o pai dela, achei isso incrível porque me ensinou que não é preciso amar alguém pelo o que você vê superficialmente. É possível sim amar alguém conhecendo apenas as peculiaridades que compõem essa pessoa.

E uma curiosidade: Enquanto eu escrevia essa resenha, parei, alisei a capa do livro, contornei cada desenho e percebi uma coisa que me intrigou. Apenas o título e a metade de baixo dos desenhos de insetos estão cobertas por uma película brilhante. A parte superior da capa está fosca. Não sei dizer se é algum defeito de impressão ou se foi intenção da Editora Paralela (braço da Companhia das Letras e responsável pelo envio da obra pela Loteria da editora). Se foi intencional, eu ainda não consegui compreender o sentido disso, mas achei interessante.

Enfim, A Arte de Ouvir o Coração me conquistou de uma maneira que eu não esperava, mas que estava precisando. Tenho certeza que, quem o adquirir, vai colocar em sua estante uma obra capaz de tocar em todos os seus sentidos e também nos alicerces do seu interior.

Anúncios

Baixei e Gostei: Belo Desastre e Desastre Ambulante

16 maio

Que garota nunca desejou viver um romance com um Bad Boy que lhe faça cometer loucuras? Mas e quando essa garota também tem um passado que lhe condena – e do qual tenta fugir a todo custo – e que faz esse Bad Boy também cometer loucuras?

Pois é disso que se trata os livros de Jamie McGuire, Belo Desastre e Desastre Ambulante.

Minhas amigas no grupo do Facebook falaram tanto dessa obra que eu tive que conferir. E confesso: caí de amores pelo Bad Boy Travis Maddox!

Confira a Sinopse de cada livro abaixo:

Belo Desastre (Beautiful Disaster) – Jamie McGuire, Ed. Verus.

belo-desastre1

A nova Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade.

Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa – e deseja – evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade. Intrigado com a resistência de Abby ao seu charme, Travis a atrai com uma aposta. Se ele perder, terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento de Travis pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, Travis nem imagina que finalmente encontrou uma adversária à altura.

Desastre Ambulante (Walking Disaster) Jamie McGuire, Ed. Atria Books (Estrangeira)

walking-disaster

Finalmente, o tão aguardado follow-up para o New York Times best-seller “Beautiful Disaster”. Você pode amar alguém demais? Travis Maddox aprende duas coisas de sua mãe antes de morrer: Ame com força. Lute ainda mais. Em “Walking Disaster”, a vida de Travis está cheia de mulheres rápidas, jogo clandestino e violência. Mas só quando ele pensa que ele é invencível, Abby Abernathy o põe de joelhos. Toda história tem dois lados. “Em Beautiful Disaster”, Abby tinha a dizer. Agora é hora de ver a história através dos olhos de Travis.

Minha Opinião – Livro #1:

Em Belo Desastre acompanhamos como Abby Abernathy começa sua jornada na faculdade e, principalmente, começa uma jornada num terreno que ela mantém em mistério a maior parte do livro: a área sentimental.
Quando ela conhece o encrenqueiro e mulherengo Travis Maddox, primo do namorado de sua melhor amiga, ela percebe na hora que tem que se manter longe dele. Tudo dentro dela apita para manter distância e grita “Perigo, perigo, perigo”.
E bem que ela tenta.
Mas isso só desperta ainda mais o interesse de Travis por Abby. Afinal, qual Bad Boy consegue resistir a um bom jogo de conquista?
Nesse momento temos uma boa dose de diversão ao ver as tentativas – falhas – da Abby de fazer com que Travis perca o interesse nela. Mas dizem que homem quando está interessado, corre atrás. E Travis leva isso ao limite.
Enfim, os dois decidem que serão amigos – mesmo que ninguém dê crédito a isso – numa tentativa de manter um ao outro em suas vidas, sem necessariamente envolver sentimentos. Ou sexo.
Mas, claaaaaroooo isso não dá nada certo, principalmente a partir do momento que Travis percebe que gosta de Abby de um jeito que nunca gostou de nenhuma outra garota e começa a lutar para fazê-la ver isso.
E entre risadas pelas investidas criativas dele, eu acabei morrendo de raiva da Abby. Acabamos percebendo que, muitas vezes deixamos de viver bons momentos em nossa vida, sem necessariamente existir a conotação sexual, apenas por puro medo.
No final, acabei percebendo que me viciei nessa história por causa de todas as idas e vindas que me fizeram viver cada aflição e emoção dos personagens. De ressacas a acessos de fúria, acabamos nos sentindo na pele dos personagens. Especialmente de Travis.
É uma leitura que eu super recomendo por ser um romance que, a princípio, tem tudo para ser clichê, mas que acaba surpreendendo pela intensidade de sentimentos de cada personagem.
Detalhe adicional: é uma história completa porque tem sua dose certa de romance, drama, comédia e também ação com a violência que rodeia a vida de Travis e, como descobrimos em certo ponto, na de Abby também.

Minha Opinião – Livro #2:

Como se não bastasse nos viciar na história, Jamie McGuire nos deu de presente toda a aflição e alegrias vividas no primeiro livro de novo, mas pelo ponto de vista de Travis Maddox.
Se antes odiamos a Abby, mesmo acompanhando seus pensamentos e linhas de justificativas, nesse livro passamos a querer matá-la ao ver o quanto Travis se sente com a maneira como ela reage às investidas dele. E sabe o que é mais legal??? É que aquele palavrão que a gente sente vontade de falar para xingar a Abby, o Travis realmente xinga por nós!!!!
Tem como não amar esse cara???
Bem, no começo temos um recorte do passado de Travis, mostrando o que aconteceu à sua mãe e isso já nos serve como uma justificativa para o comportamento arredio dele não apenas com relação às mulheres, como também com o mundo das lutas clandestinas.
Vemos então todo o processo já lido no livro anterior de como ele conhece Abby e como ele acredita que ela seja um Beija-flor no meio de tantos Abutres. E vamos ser francos: por mais Bad Boy revoltado que um cara seja, no fundo é isso mesmo que ele deseja encontrar em sua vida, não é?
E a partir daí começa a diversão. Eu, particularmente, sofri e ri muito com os acessos de ciúme, os planos criativos de conquista e as explosões de fúria do Travis. E também me derreti com as confissões apaixonadas. À la Travis Maddox, claro!
Achei bem legal esse livro porque a gente se sente não apenas da cabeça de um homem, mas na cabeça de um homem complicado que luta para não se apaixonar por aquela garota por perceber que ele não é bom o suficiente para ela.
Acho isso muito lindo mesmo!
Confesso que me identifico um pouco com Abby em alguns momentos, como a recusa a falar palavrão – por isso ri tanto do Travis falando palavrão o tempo todo – ou a maneira como Travis expressa seus sentimentos às vezes e que a deixa assustada. Mas nada justifica o sofrimento que ela fez ele passar! E sim, é de roer as unhas de raiva!!!
Nesse livro a gente tem uma carga um pouco maior de diversão pelo fato de o ponto de vista do Travis ser mais divertido do que o de Abby, mas também é mais tenso igualmente pelo fato de Travis ser explosivo e impaciente.
Achei apenas que foi um pouco mais cansativo em alguns pontos por causa da repetição de cenas, mas que é justificável pela diferenciação na narrativa, que antes era feita pela Abby.
Mas, no mais, achei o livro perfeito! Portanto, super recomendo o download e, quem estiver com mais Dilmas na carteira do que eu, recomendo que compre porque é um daqueles livros para se ler quando estamos na fase do meio termo: Não estamos a fim de ler/ver nada muito romântico, mas sentimos necessidade de ler/ver algo que nos conforte e nos divirta!

Extra:

O blog Envenenadas pela maçã fez um post com, segundo elas, o candidato apontado por Jamie McGuire para interpretar Travis Maddox na adaptação para as telonas de Belo Desastre. VALE MUITO A PENA CONFERIR, MENINAS! *—*
Clique Aqui

Baixei e gostei: Difícil de Amar – Kendall Ryan

29 abr

Quem ama livros, mais cedo ou mais tarde, acaba cometendo certas loucuras. Ou vão dizer que nunca entraram num site para comprar um livro e acabaram levando outros três – ou cinco – que nem pensavam em comprar?
Como minha carteira anda sem Dilmas para cometer essas loucurinhas gostosas, acabei encontrando um novo vício compulsivo: baixar ebooks.

Eu sempre torci o nariz para ebooks. E ainda não gosto e prefiro sentir o peso do livro na minha mão, cheirar a capa e as páginas, alisar as folhas para adivinhar o tipo de papel e gramatura… Essas coisas que só leitores apaixonados fazem quando pegam em um livro antes de lê-lo. Mas, na falta de dinheiro, os ebooks são uma opção indispensável.

E, honestamente, não foi tão ruim ler livros pelo celular como eu pensava. A primeira leitura que fiz foi logo de uma trilogia – pela qual, inclusive me apaixonei: Jogos Vorazes, Em Chamas e Esperança, de Suzanne Collins – e não foi tão incômodo quanto ler pelo computador.

Enfim, o post de hoje traz a vocês uma das últimas leituras que fiz via ebook: Difícil de Amar, de Kendall Ryan.

O arquivo foi encontrado em um dos blogs parceiros do Claquete de Papel, o Love Series e Afim, que eu tinha acessado para buscar um outro livro. Mas quando eu li a sinopse, simplesmente não resisti e baixei.

Leiam abaixo a Sinopse:

Cade sempre se arriscou… Cade cuida de sua irmã mais nova e doente fazendo o que faz de melhor: lutando e estrelando em filmes adultos, o seu mais novo louco esquema para ganhar dinheiro e assim poder pagar as contas médicas crescentes de sua irmã. Quando o seu mais recente trabalho faz que com ele tenha que ser admitido na emergência de uma clínica médica ostentando uma ereção do inferno, graças à pequena pílula dada a ele pelo diretor, não consegue tirar a enfermeira bonita que cuidou dele de sua cabeça, mesmo sabendo que ela está tão fora de seu alcance que deveria ser ilegal. Alexa sempre jogou pelo seguro… Cansada de ser rotulada como uma doce, inocente e empenhada estudante de enfermagem, Alexa tem procurado maneiras de quebrar a imagem de santinha que todos têm dela. Quando sua amiga sugere que ela perca sua virgindade com a estrela pornô sexy e seguramente qualificada para a missão, Alexa acha a ideia bizarra e fica mortificada. Porém quando Cade recusa a sua proposta, ela encontra-se chateada e envergonhada. Mas ela não está preparada para o que encontra quando decide procurá-lo para lhe dizer o que pensa da sua atitude idiota. Vê-lo cuidar de sua irmã mais nova mexe com seu coração, e de repente a situação não é mais apenas sobre a perda de sua virgindade, mas sobre ajudar Cade. Porque o Senhor a ajude, ela pode estar realmente se apaixonando por uma estrela pornô…

 

Minha Opinião:

Apesar de parecer pesado, o livro trata sobre a linha tênue que existe entre sexo e amor, prazer e sentimento, trabalho e responsabilidade. Cada capítulo é no ponto de vista de um personagem, alternando entre Cade e Alexa. Cade é um personagem instigante, divertido, maduro e ao mesmo tempo impulsivo. Obrigado a assumir responsabilidades muito cedo, ele acaba se dedicando às suas obrigações e se esquecendo de cuidar de si mesmo e de tentar manter um relacionamento. Enquanto isso, Alexa sempre foi bem cuidada, sempre protegida pelos pais e sempre teve todas as oportunidades possíveis que a vida poderia lhe dar: pais ricos, uma boa casa, uma boa faculdade, um bom carro, um bom apartamento, bons amigos e bons pretendentes.
Quando o caminho dos dois se cruza de uma maneira muito engraçada – e constrangedora para o Cade -, surge uma conexão que nem mesmo os dois entendem.
Depois de idas e vindas, Alexa ajuda Cade a enfrentar as dificuldades que aparecem com relação ao tratamento da irmã e, em contrapartida, Cade a retribui oferecendo seu próprio corpo para que ela ganhe experiência na arte de dar e receber prazer.
No começo, confesso que fiquei com um pé atrás pensando que era um tipo de obra que tentaria pegar o embalo do sucesso que a literatura do estilo 50 tons fez no público feminino. Mas, conforme a leitura foi avançando – muito rápido, afinal o livro é curtinho -, fui percebendo que, além de não se tratar de um relacionamento apoiado no sadomasoquismo, o livro de Kendall Ryan trabalha justamente as questões que citei anteriormente. É muito interessante porque você acaba refletindo em como às vezes ignoramos essas questões em nossa vida, por julgarmos uma coisa mais importante que a outra quando, na verdade, Cade e Alexa nos mostra que sempre há um equilíbrio para tudo. Inclusive quando se trata de sexo e amor, ou de prazer e sentimento.
Portanto, super recomendo esse download, e, assim que eu puder, vou correndo comprar o livro para reler porque me diverti demais com o Cade. Esse é o tipo de personagem sincero, autêntico e intenso que consegue arrancar suspiros, mas também boas risadas!

hard-to-love-kindle-cover Sobre a autora (Por Amazon):  Kendall Ryan é a autora dos best sellers sucesso do New York Times e EUA Today com os romances contemporâneos Difícil de Amar (Hard to Love), Desvendar (Unravel) e Me faça sua (Make me yours).
Ela é atrevida, politizada em Midwestern com um profundo amor de livros, e uma ligeira dependência de gloss! Ela tem um diploma de bacharel em marketing, alguns muitos livros de namorados e dois filhotes de cachorro muito desobedientes.
Visite-a em: www.kendallryanbooks.com para as últimas notícias do livro, eventos divertidos e brindes!

 

 

 

 

Próximo lançamento:

Compre aqui (Sites internacionais): Amazon | Barnes and Noble | Paperback

Resisting-Her

Quatro Notas

E algo mais...

BOOK GRAPHICS

A busy author's best friend

That's My Happy Place

“Li livro durante toda a minha vida. E, quando mais precisei lê-los, os livros me deram tudo o que pedi e mais."

everythingofnothing

tudo o que se cala, se transforma...

Camafeu da Lia

O Diário de Uma Águia Francesa

Fome de Leitura

Resenhas de livros, indicações e tudo para quem, assim como nós, adora devorar um livro!

Revista Marabá

Tudo o que envolve cinema e ações que incentivam o gosto pela sétima arte

Espartilho

Entendendo o universo feminino

Brunices

Livros, séries, filmes, música, e tudo o mais que a minha cabeça quiser e inventar :D

deixadenerdice

e vamos tomar uma cerva?

The WordPress.com Blog

The latest news on WordPress.com and the WordPress community.